Dor no peito (esterno)   « Voltar
 

Problemas vertebrais (torácicas): Bloqueios das articulações vertebrais proveniente de diversas causas, como traumas, movimentos repetitivos, dentre outros, podem acarretar em stress articular em outros segmentos, gerando problemas articulares. Os problemas articulares da regi]ao torácica vão afetar diretamente o esterno, pois as costelas se articulam nas vértebras e depois diretamente no osso esternal.

Tipo de dor: Dor piora com determinados movimentos, durante a respiração e rotações do tronco. Dói ao abrir o peito.

Esterno: Problemas no osso do esterno, decorrente de traumas, torções, causam bloqueio do seu movimento e geram estress dos músculos, ligamentos, e da cartilagem da região. Esse bloqueio é mantido pela tensão causada durante o trauma.

Tipo de dor: Dor pontual, que piora em determinados movimentos. Dói ao realizar pressão na região.

Costelas: Traumas e quedas são os principais fatores que geram problemas nas costelas, pois elas acabam amortecendo o impacto. Os problemas pulmonares e diafragmáticos também causam problemas costais. Como as costelas se articulam com o esterno (mais precisamente na região condral), tem íntima relação com o tórax.

Tipo de dor: Dor nos movimentos do tronco (rodar, fletir ou inclinar), dor ao respirar, podendo ter ou não sintomas musculares (dor ao contrair os músculos das costas) e dores neurológicas (nervos intercostais - dor em faixa).
 
Músculos: Os músculos mais importantes que se inserem na região esternal são o peitoral maior, músculos abdominais (reto) e os músculos posteriores do esterno chamados de transverso do tórax. As alterações da tensão muscular causada por traumas, esforços, problemas posturais, podem aumentar o trabalho muscular e gerar dores.

Tipo de dor: Dor contínua que piora com a contração muscular, pressão no tórax e alongamento muscular, a dor é pontual e pode irradiar para as costas.

Diafragma: É uma musculatura muito importante para a nossa sobrevivência, sua contração gera uma pressão negativa dentro da caixa torácica. O diafragma possibilita ¨sugar¨ o ar para dentro dos pulmões e seu relaxamento causa a expulsão do ar. É uma musculatura que envolve várias partes do corpo, ele se liga às ultimas costelas, no esterno, vértebras lombares e na região cérvico-torácica. O diafragma como qualquer musculatura pode alterar o tônus em após traumas na região das costelas, lombares, cervicais (sua inervação provém da região cervical), problemas emocionais e até em vísceras digestivas (tem íntima relação com o diafragma).

Tipo de dor: Dor ao respirar, dor em faixa na região torácica. Dores na região ao realizar exercícios e pode ser associada a problemas digestivos.

Problemas digestivos: O fígado, estômago e esôfago, referem dores para a região do esterno. O esôfago transpassa pela região posterior do esterno, e pelo diafragma que está relacionado diretamente com o mesmo. O fígado e o estômago também têm íntima relação diafragmática por isso irradia dor no centro do tórax.

Tipos de dor: Dor constante que piora em algumas horas do dia, à noite, tendo um sono relativamente agitado. Aumento da tensão cervical e trapézio, a dor pode aumentar após as refeições.

Problemas pulmonares: A pleura pulmonar se insere atrás do esterno, por isso que problemas ou irritações pulmonares podem gerar dores. O pulmão também se insere no diafragma que por sua vez tem uma inserção muscular no processo xifóide do esterno, potencializando a relação do pulmão com as dores esternais.

Tipo de dor: Dor contínua, limitante, dá uma sensação de “peso” no tórax e nos ombros. Pode piorar durante os exercícios físicos, são associados sintomas pulmonares como falta de ar, tosse, secreção. Dor na região esternal associada.

Problemas cardíacos: O pericárdio se insere na região posterior do esterno, sendo potencializado pela inserção diafragmática que também se relaciona diretamente com o esterno. Por esse motivo que os problemas cardíacos referem dores no tórax.
Tipos de dor: Dor constante, com a sensação de opressão torácica e falta de ar. Pode agravar com atividades físicas e pressões na região esternal.

Problemas vasculares: Os grandes vasos que estão localizados posteriormente do manúbrio e do esterno são: Artéria aorta, tronco braquiocefálico, artérias carótidas, veias jugulares,  artérias e veias subclávias artérias e veias pulmonares e veia cava superior. Eles se relacionam diretamente com o osso esternal e manúbrio, por isso os problemas vasculares referem dores no tórax. Mas não precisa necessariamente apresentar alguma doença vascular, alguns traumas ou problemas da coluna podem causar a contração dos vasos (vasomotricidade) e alterar o fluxo e causar dores.
Tipos de dor: Dor constante, com a sensação de opressão torácica e falta de ar. Pode agravar com atividades físicas e pressões na região esternal e ingestão de medicamentos vasoativos

 
 
Novas instalações ...
Estamos iniciando uma nova etapa em novas instalações. Venha nos visitar e conhecer nossa estrutura....